Comunicação para Financiamento Coletivo

De tudo o que tenho falado sobre elaborar, lançar e ter sucesso numa campanha de financiamento coletivo*, essa provavelmente vai ser a parte mais importante: comunicação.

Já agora… minha campanha para publicar meu está no 48º dia, faltam 12, e eu já bati a meta estabelecida, mesmo numa campanha flexível. Saiba mais aqui kickante.com.br/campanhas/livro-da-re-schermann

Voltando…

Para começar, existem dois tipos de campanhas:

  1. de gente famosa, de gente que está lançando algo que todo mundo quer muito ou de algum tipo de produto que tem seguidores fiéis (games e HQ, por exemplo)
  2. Todo o resto

Se você não é famoso, não descobriu um máquina que escreve seus sonhos enquanto você dorme, a cura para consumismo ou um super produto wow, e não está lançando um game ou HQ super cool, então você está no grupo todo resto.

tumblr_ln7l42uB0C1qlus41o1_500

É que, por exemplo, se a Rita Lee for lançar um CD no kickante com promessas de visitas ao camarim por muito dinheiro, CD autografado, ingresso para show, etc… Ela pode pedir o quanto ela quiser: ela vai bater a meta. E sem ter que pedir contribuição para filho, amigo do filho, primo, etc… Todo a máquina de assessoria de imprensa dela, da plataforma de financiamento coletivo, dos fãs clubes, de rádios, etc… farão o trabalho por ela.

Agora, se for uma banda como o Toró Instrumental lançando um CD (sabe que banda é essa? Eu fiz a campanha deles. Com sucesso…), vai ser preciso xavecar até o porteiro para conseguir bater a meta.

A lógica é simples: financiamento coletivo nada mais é uma transação em que um grupo de pessoas individuais adiantam dinheiro para uma pessoa, grupo ou empresa para ter uma recompensa (não vou falar das causas aqui, ok?). A questão é para onde pende a balança: você precisa mais do dinheiro ou as pessoas do seu produto?

No caso do meu livro (e do Toró Instrumental também), é claro que eu preciso mais do dinheiro para publicar o livro do que as pessoas precisam do meu livro para serem felizes. Por que? Porque elas não conhecem meu livro, ainda, nem a mim como escritora. Já o CD da Rita Lee ou o próximo livro da J.K.Rowling, elas sabem o quanto ficarão felizes em obterem. Deu para entender?

Ok. Então, vamos considerar que estamos todos no grupo 2 – todo o resto (afinal, acho que a Rita Lee e a J.K. Rowling não estão muito interessadas nas minhas dicas de comunicação).

jk3

Você quer publicar seu livro, gravar seu CD, lançar uma marca de roupa, uma marca de cerveja artesanal, um foodtruck de hamburguer gourmet, nenhum produto WOW VOU SALVAR O MUNDO, mas coisas bacanas, com qualidade, que até têm um público que deve se interessar esses produtos. Se eles souberem do que você está falando. E esse é o grande problema!!!

Se a Coca-Cola tem dificuldades (às vezes. Poucas vezes… talvez quase nunca, mas serve de exemplo) de chegar no seu público alvo com toneladas de investimento em comunicação, imagina você com seu perfil – com muita sorte, página – de facebook e no insta que você ainda se orgulha em dizer “eu, eu quase não uso. Só para dar uma olhada em amigos que moram longe…”?

Quer lançar uma campanha de financiamento coletivo? Antes de começar a pensar nela, pense antes em começar a ser o cara mais cool de todas as redes sociais e grupos de whatsapp. Sério, você vai me agradecer por isso.

“ah, eu só uso email para trabalho e tal”. Começa a juntar email dos amigos, número de telefone, o que você puder para contatá-los. E esse foi o ponto 1 das dicas de comunicação:

Prepare-se antes ativando redes e montando lista de contatos.

2. Faça uma lista de todo mundo que você conhece que poderia contribuir com sua campanha. Diz a lenda que cerca de 30 a 50% das contribuições virão de familiares e amigos. Pela minha experiência, se você está no grupo 2, esse número é mais próximo dos 80%. E não é fácil conseguir esses 80%…

Faça a lista de contatos que poderão contribuir.

Você vai precisar para ir acionando um de cada vez…

“Que é isso? Eu tenho muuuuuitos amigos. Mais de 1000 no facebook! Se cada um der vintão, já bato a meta. Basta fazer uns posts…”

Com quantas campanhas você contribuiu nos últimos tempos? Quantas recomendações, quantas ajudas seja para o que for? Não conte tanto com isso… Pelo menos, não de maneira tão leviana. Muita gente não vai notar sua campanha logo de cara, outras vão ver algum post e  não entender do se tratar, ou até entender e se distrair com outra coisa, pode não se interessar e, mesmo se clicar na campanha, pode ficar com preguiça de preencher e depois se esquecer.

 

Então mais vale desistir?

Não, mais vale ter isso em mente: diz uma estatística qualquer relacionada a isso que uma pessoa, em média, contribui com algo ou alguém que lhe interessa após ser impactado cerca de 7 vezes pela mensagem. E esse é o ponto 3:

Você vai ter que ser persistente.

Fazer a comunicação de financiamento coletivo requer dedicação do seu tempo TODOS OS DIAS! Vou repetir porque algumas pessoas com quem trabalhei montando uma campanha, mesmo repetindo várias vezes e deixando por escrito, não entenderam: é um trabalho de TODOS OS DIAS!!!!!!!!

TODOS OS DIAS!!!!

 

Parece chatice, mas vai ver a quantidade de campanha nas plataformas que não conseguiram nem 5% de arrecadação. Além do trabalho de pensar, planejar e montar a campanha jogado no lixo, tem todo um sonho que fica frustrado por falta de planejamento e dedicação.

Agora, vou contar um segredo: vale super a pena!!!!! Além da alegria de ver seu projeto dar certo, no meio do caminho você recebe contribuições e mensagens incríveis até de pessoas que você nem esperava. É demais!

As campanhas duram entre 45 e 60 dias, por isso antes de lançar tenha certeza que não coincide com as suas férias em um lugar remoto, com o deadline apertadíssimo do trabalho, com o nascimento do seu filho, etc… Por que você vai precisar de tempo.

“Quais são os meios de comunicação que você vai usar? Tem algum que simplifica? Posso contratar um designer por exemplo?”

Contratar um designer é uma boa ideia, mas ele não vai aliviar seu trabalho… É você que vai se comunicar, dar feedback, falar de novo com as pessoas… e você pode usar (e eu recomendo que use) as seguintes ferramentas (e chegamos ao ponto 4):

  • facebook – vale a pena reservar uma verba para impulsionar posts se você tiver uma página
  • instagram, twitter, youtube e qualquer outra rede que você já use
  • whatsapp. Muito.
  • email
  • telefone
  • conversa de bar
  • conversa no café do escritório

A grande questão aqui é que para convencer seu público a contribuir, você vai ter que contar uma história. E cada pessoa vai estar mais atenta a sua história em meios diferentes. Seu avô vai gostar que você ligue para ele, sua prima mais nova vai achar cool você marcar ela num post, seus colegas de trabalho vão gostar que você converse com eles sobre seu projeto no happy hour… deu para entender?

“mas, só facebook não serve?”

Para além da questão dos algoritmos que não vou explicar aqui, vou fazer uma pergunta simples: como você se comporta no facebook? Vou chutar:

giphy

Futebol, gatinhos, filmes engraçados, frases motivadoras, filmes engraçados, polémicas, filmes engraçados:. curto rápido e presto alguma atenção

Notícia séria, gente pedindo para votar em alguma campanha, textão, campanhas de doação: ah, depois eu vejo. Tô sem tempo. Que chatice…

É normal, a maioria das pessoas usam as redes sociais para se distraírem e bisbilhotar vida dos outros.

“ah, então não é para fazer campanha no facebook?” Sim, é uma ótima ferramenta. Mas não funciona sozinha.

Não aposte em apenas um meio de comunicação, use um MIX

5. Como usar o facebook?

  • Seja criativo. Vai contando a sua história e do seu projeto de forma envolvente. Mude o tom, mude o meio (vídeo, foto, carrossel, gif)
  • Poste com regularidade, marque amigos nas fotos explicando porque eles vão se interessar por esse post, peça para as pessoas compartilharem
  • Use o inbox!!! Na minha campanha eu enviei mensagem privada para praticamente todo mundo da minha lista. Todas personalizadas, sem copy / paste.
  • Making of: fale sobre o avanço do projeto. As pessoas gostam de saber que seu investimento ou possível investimento está avançando.
  • Fale, converse com o seu público, não compartilhe conteúdos frios. PERSONALIZE! (vou considerar esse o ponto extra)
  • Se tiver uma página e não perfil, pode impulsionar, mas principalmente para o grupo de pessoas que já curtiram a sua página. Afinal, você não está no grupo de famosos.
  • Faça posts bonitos!!!! (e aqui o designer pode te ajudar)
  • Stories ajuda muito!

E os outros meios?

No whatsapp, mande mensagens em grupos ou para pessoas. Siga mesma regra da personalização. Faça várias vezes.

No insta, o Stories funciona muito bem. Seja criativo e converse com as pessoas. Conte a sua história. Lembrando que, a não ser que seu perfil seja ninja, você não conseguirá publicar links para a campanha. Por isso, deixe o link na BIO e leve as pessoas para lá.

Twitter e youtube: só se você já tiver muitos seguidores nesse canal.

E-mail… não acredita nele? Na minha campanha recebi 6 contribuições de pessoas que eu não conhecia de lugar algum, em um dia, depois de sair um email do kickante com minha campanha. Use títulos chamativos, textos curtos e imagens só em html para não bloquear.

Durante a minha campanha, usei principalmente facebook, instagram, whatsapp e muito contato pessoal. Maior fonte de sucesso? Inbox do facebook e whatsapp. O resto, servia para as pessoas lembrarem, os tais 7 contatos para impactar.

Use bem os meios de comunicação. Cada um tem um propósito.

6. Seja cara de pau. Você vai precisar convencer muita gente.

Mais… Sua mãe é cara de pau? Peça ajuda a ela. Ou então ao seu irmão, seu chefe, o porteiro do prédio… Atraia quem puder para ajudar na divulgação da sua campanha.

caradepau.gif

Você vai ter que ser cara de pau….

7. Mais que seu projeto as pessoas vão apoiar você: Realce a importância do seu projeto, mas principalmente o quanto ele é importante para você. As pessoas vão TE ajudar. Use imagens suas na campanha, use vídeos. Se você é uma pessoa engraçada, faça piadas. Faça elas se lembrarem que você é uma pessoas legal e merece a ajuda delas.

Na minha campanha por exemplo, optei pelo título “livro da rê schermann”, ao invés do nome do livro. As pessoas reconheceriam logo que era algo sobre mim e as pessoas tendem a se interessar mais por qualquer comunicação que fale de alguém conhecido. Conte a sua história. Personalize.

Personalize. Chame a atenção para você.

me.gif

Assim, resumindo:

  1. Comece a preparar a comunicação antes da campanha ativando redes e preparando listas de contatos
  2. Faça uma lista de todo mundo que você acha que poderá contribuir para sua campanha. Seja realista e veja se é suficiente
  3. Prepare-se, organize-se: saiba que você vai precisar dedicar tempo à divulgação da campanha TODOS OS DIAS
  4. Use um mix de comunicação, não se restrinja ao facebook
  5. Sobre facebook: seja criativo e envolvente, poste com regularidade, marque amigos, use o inbox, mostre o processo e os avanços, converse com seu público (não use conteúdos frios), se tiver página impulsione para o seu público, faça posts bonitos, use o stories
  6. Seja cara pau e peça ajuda para quem também é cara de pau.
  7. Realce a importância do seu projeto, mas principalmente o quanto ele é importante para você. Conte a sua história.

*outros posts sobre o assunto:

A decisão | Orçamento | A campanha | Sobre o financiamento coletivo | Making of | e a página sobre a campanha

Se tiver dúvidas ou quiser saber mais sobre o assunto, pode me enviar um email: reschermann@gmail.com (eu demoro um pouco mas respondo).

Sucesso com a sua campanha!!!

cel.gif

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s