O sonho de publicar seu livro e encontrar leitores (não necessariamente nessa ordem)

 

snoopy-e1360772878748

*Caro senhor, referente à recente nota de rejeição que você me enviou / Eu acho que houve um engano / O que eu realmente queria era que você publicasse minha história e me enviasse 50 mil dólares.

Essa semana estive na Social Media Week de São Paulo e 4 das várias palestras  que assisti me chamaram muito a atenção pelos seguintes motivos:

  • São todas super aplicáveis ao universo literário
  • O que aprendi em cada uma delas está relacionado entre si
  • Juntando tudo o que ouvi, é possível construir uma mega estratégia para publicação de livro por meio do financiamento coletivo ou crowdfunding.

E, como sou muuuuuito legal, vou partilhar isso tudo com vocês!

Escrevi esse texto há 7 meses atrás. Hoje, dia 26 de abril, vou atualizá-lo com novas informações que adquiri lançando uma campanha na plataforma Kickante (não literária, mas sobre música independente) depois de ter tido reuniões com a equipe dessa plataforma e ter assistido a uma palestra com eles. (se quiser conhecer a campanha… www.kickante.com.br/toro. As atualizações vão estar em Laranja.

Os assuntos tratados nas palestras foram:

Crowdfunding, com o pessoal do Catarse, Marketing Boca a Boca, com o Cristiano Machado, presidente da AbraBoca – associação brasileira de marketing boca a boca, Facebook orgânico, com o pessoal da agência Manager e Planejamento de Redes Sociais com a Sara da Zipro.

Com a Kickante, falamos muito sobre como o doador interage e se relaciona com a campanha e plataforma, sobre a comunicação e o planejamento de campanha, sobre valores de doação e os tipos de prêmios ou recompensas.

E o mais interessante foi: na palestra do Catarse, duas pessoas com projetos bem sucedidos foram falar de suas experiências. E o projeto de cada uma era a publicação de um livro (Coisa de Menina e Menina Distraída).

dragao
Ilustração de Pri Ferrari, em Coisa de Menina

Bom, a palestra sobre Financiamento Coletivo tinha um nome bem interessante: É mais crowd do que funding. Por trás desse conceito está a ideia de que para se conseguir ter sucesso no processo de financiamento do seu projeto pelas plataformas de crowdfunding, sua preocupação principal deve ser a comunidade que você quer formar e não no dinheiro a arrecadar. Cada uma das pessoas que você conseguir que se envolva com o seu projeto, dando dinheiro para ele ou não, será responsável por garantir o sucesso da campanha. Como? Indicando o projeto para amigos, conhecidos e nas redes (o poder do marketing boca a boca), sugerindo soluções, com dinheiro (yeiii!) e, super importante, ajudando na divulgação, venda e/ ou distribuição do seu projeto ou produto quando concluído (sim, porque o trabalho não acaba com a arrecadação de dinheiro).

Assim, para se ter sucesso num projeto de financiamento coletivo para publicação de um livro, aqui vão algumas dicas elaboradas a partir de conceitos e ideias que aprendi ou revivi nesse dia na SMWSP e depois disso:

1º Sobre o projeto de forma geral

  1. book-loveLivros que fazem a diferença ou têm uma utilidade que responde a uma necessidade latente têm mais chance de sucesso. Por exemplo: livros com mensagens sobre feminismo, igualdade, maternidade, etc… ou livros que te ensinam a ganhar dinheiro, abrir uma empresa, dar nó na gravata (risos). Enfim, se a pessoa se sentir envolvida com o projeto, melhor.
  2. Projetos não muito caros têm maior potencial para dar certo. Aqui, sugiro observar como andam as outras campanhas de livros semelhantes.
  3. Boas campanhas de divulgação e honestidade na explicação da campanha funcionam. Não tentem transformar seu livro de aventura em um projeto que fará seus filhos lidarem melhor com o super herói que existe em cada um de nós. Mais vale dizer: provavelmente o melhor livro de aventura que seu filho irá ler esse ano.

2º Planejamento é fundamental! Planejar uma campanha de crowdfunding significa:

  1. Clareza do seu objetivo: por que esse projeto é importante? Aqui você pode fazer um longo tratado sobre a relevância do seu livro… se isso for importante para você. Mas, você vai precisar ter uma versão reduzida do objetivo. E, quando digo reduzida, digo 1 no máximo 2 linhas. A kickante define isso como a motivação ou urgência. Por que a pessoa precisa contribuir com o seu projeto agora?! Por que não depois, por que não outro projeto. No que criei para esse grupo de música independente o mote era: Eles fazem 10 anos de carreira e nunca gravaram um CD profissional. A hora é agora, certo?
  2. Público Alvo ou Persona: para quem é esse livro? Definição de público alvo pode ser algo complicado para quem não está acostumado, mas vou tentar ajudar: não se preocupe só com faixa etária e classe social, pense em  comportamento, como é a vida dessa pessoa e em que momento o seu livro fará parte da vida dela. Pode pensar em umas três pessoas que poderiam comprar seu livro e a descrever. Pode dar até nome para seu personagem. Por exemplo: Joana é mãe de três filhos, trabalha part time numa ong, vive numa grande cidade, passa metade do dia no trânsito cuidando dos filhos e da casa. Seu único momento de descanso é quando todos estão dormindo e ela toma uma taça de vinho sozinha na sala lendo livros de romance. Entendeu? Com esse tipo de informação você consegue definir o tom que você usará na comunicação, o meio para chegar nela, qual o apelo para fazer ela investir ou comprar o seu livro. Eu agora vou mais longe… segmente também os diferentes tipos de público. Tem um, que é o mais importante para dar início à campanha que é o público emocional: amigos, familiares, colegas de trabalho que não contribuirão para o seu projeto mais com você. Nesses casos, você vau fazer uma comunicação pessoal, desde uma visita à pessoa, um telefonema, um whatsapp que seja, mas falando de como isso é importante para você. Talvez esse público nem faça questão da recompensa. 2: fãs do seu projeto! Porque gostam do tema, porque já seguem o seu projeto, porque costumam apoiar esse tipo de projeto. 3: formadores de opinião: aquelas pessoas que, mesmo que não contribuam, se falarem no seu projeto farão várias outras contribuírem. No nosso caso, podem ser um escritor importante, um escritora com muitos fãs no wattpad, um jornalista ou blogger/ vlogger literário, uma livraria… As mensagens e meios para chegar em cada um desses públicos serão diferentes.
  3. Benchmarking: descubra o que os outros escritores estão fazendo na plataforma, o que está dando certo e o que não está, utilize essa informação para ajustar sua estratégia.
  4. Orçamento: na hora de fazer o orçamento, e as plataformas costumam ajudar bastante, lembre-se de incluir tudo que é essencial para o projeto dar certo. Um pequeno check list que pode ajudar: Revisor de texto, capista, diagramador, impressão (defina com precisão formato, papel, capa), recompensas (desenvolvimento e produção), distribuição (do livro e das recompensas), divulgação e comissão da plataforma. Faça orçamentos reais, consultando fornecedores, e não suposições.
  5. Recompensas: o que faria a pessoa investir em seu livro? Bom, na maioria dos casos, elas investem porque acreditam no projeto mas, não custa nada ser simpático com seus investidores e, de repente, incentivá-los a fazer um investimento maior. Sugestões: o seu livro por um valor mais baixo que o de venda. Mais de um livro, com desconto maior, para dar de presente (uma das palestrantes teve uma ideia muito legal: 4 livros, sendo 1 para o investidor e 3 ela doaria para uma instituição em nome dele), marcador de página, merchandising (caneca, camiseta, caneta, bloco, chaveiro. Aqui, lembre-se que terá que enviar pelo correio para o Brasil todo), convite especial para evento de lançamento (se a pessoa morar na mesma cidade), quadro com ilustrações do livro (se tiver), etc.
  6. Cronograma: a-ha! Aqui o bicho pega: Seja realista. Prepare-se! Como disse uma das palestrantes: depois que tudo começa a acontecer, você não tem tempo para nada para além de lidar com suas emoções.
  7. Divulgação (veja abaixo)

3º Forme uma comunidade de apoiadores do seu projeto

Você já definiu seu público, agora é hora de começar a falar com eles e envolvê-los, mesmo antes de lançar a campanha na plataforma de Crowdfunding. E a maneira mais óbvia de fazer isso hoje em dia é pelas redes sociais. E agora vou apresentar dicas reunidas dessas 4 palestras e outras que aprendi com meu trabalho:

  1. Quem são os seus embaixadores ou maiores fãs? Antes mesmo de colocar seu projeto em prática, já dá para ter uma ideia de quem vão ser os seus principais fãs, aqueles que te apoiarão incondicionalmente: mãe, pai, irmãos, melhor amiga ou amigo, namorado, namorada, marido, aquele tio bacana, a vizinha que acha você muito cool, não importa, são esses caras que vão te ajudar a arrecadar mais dinheiro ou, pelo menos, leitores. Desde o início do projeto, comece já a contar o que você pretende fazer, como pretende fazer e o quanto você precisará dessas pessoas para te ajudar.
  2. Escolha seu campo de batalha. Não invente, se você tem muitos seguidores do Facebook, não defina o twitter como meio de comunicação, né? Entre elaborar seu livro, sua campanha na plataforma de Crowdfunding e todo o resto do processo, não vai sobrar tempo para você criar uma base de fãs em rede alguma. Então, use a que tem ou comece a construir uma base com muita antecedência.
  3. Comunique-se com essa base de seguidores num tom e linguagem adequada ao público e ao seu projeto. Se o teu livro é para crianças, comece a falar com as mães sobre assuntos que as interesse para manter elas conectadas com você e, posteriormente, com o seu projeto. Got it? Não adianta passar 3 meses falando de Pokemon Go e na hora H começar a partilhar textos sobre a importância da mão na vida da criança. Não vai colar.
  4. Antes de lançar a sua campanha, transforme-se na pessoa mais legal da redes. Responda a todos os comentários, cutuque amigos, utilize-se de conteúdos virais, vai contando aos poucos sobre o seu projeto e como ele é bacana, envolva os seus seguidores no processo (vocês gostam mais desse título ou desse? Qual capa preferem? Você gostam dessa frase?), curta os posts do seu público potencial.
  5. Use os seus embaixadores! Aqui vai funcionar muito o marketing boca a boca: seus embaixadores vão divulgar ou comentar sobre seu projeto, os amigos vão ouvir, vão passar para frente e assim vai. Ame-os. Paparique-os. E peça favores!
  6. Se vocês têm uma página e não perfil no Facebook, comece a investigar quem são seus seguidores e se eles estão adequados ao perfil determinado para seu projeto. Vasculhem as páginas deles meeeesmo! E, vai adequando essa base de fãs ao seu público alvo determinado. Como? Banindo aqueles não têm a menor relação com o seu projeto. E não precisa ter pena não, viu? Tem gente que faz like em páginas sem prestar atenção no que está fazendo e, se você tiver uma base de gente que não se interessa pelo seu livro, seu alcance orgânico de posts vai ficar uma porcaria. Da mesma maneira, entre em grupos de temas semelhantes e convide os seguidores para seguir sua página. Essa lógica orgânica do Facebook é mesmo complicada, vou ajudar um pouco aqui, mas se quiser saber muito mais, sugiro esse treinamento: FacebookMaster
  7. Seja cara de pau: acione imprensa, sites e blogs que falem do mesmo assunto do livro ou simplesmente sobre livros, peça para os caras que você pediu orçamento para divulgar o projeto (eles também vão ganhar se você ganhar), divulgue, divulgue e divulgue de novo nas redes, compartilhe em grupos, acione todos os grupos de whatsapp.
  8. Trabalhe bem as redes: fotos bonitas, frases engraçadas do livro, ilustrações e vídeos podem ter um super poder viral. Capriche! Compartilhe conteúdo que pode ser útil ou interessante para seu público. Use a emoção. Aqui tem várias dicas, mas uma das mais eficazes é mesmo utilizar o relacionamento direto principalmente por vídeo: põe um sorriso no rosto, faz cara de pedinte e conta sua história para câmera, mostre o local em que você o escreveu, conta como o livro é legal, o que te inspirou, tudo o que você deixou de fazer para ele ficar pronto. E não se esqueça de sempre, em qualquer post e em qualquer rede, no final do texto colocar o link para o seu projeto na plataforma de financiamento coletivo.

Se quiser saber, essa sã0 algumas plataformas de financiamento coletivo, mas tem muito mais: Catarse / Kikante / Benfeitoria

escritora
Tire seu projeto de livro da gaveta!

******

>> E, sobre o meu livro? Ainda vou preparar a minha campanha no Catarse. Fique atento!

>> Tem outras sugestões para quem está tentando publicar seu livro via financiamento coletivo? Conta para gente!

>> Gostou do conteúdo? Comente! Compartilhe!

>> dá uma olhada na campanha que criei no Kickante (www.kickante.com/br/toro ) e na campanha que estou fazendo (ou fiz, depende de quando você estiver lendo esse texto) para eles: www.facebook.com/bandatoroinstrumental

E, se precisar de ajuda, apite!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s